Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

songs-by-night
No comando: Songs by Nigth

Das 00:00 as 02:00

cafeina
No comando: Cafeína

Das 02:00 as 06:00

levanta-rio-grande
No comando: Levanta Rio Grande

Das 06:00 as 08:00

sintonia-agora-vai
No comando: Sintonia livre

Das 08:00 as 12:00

domingo-nativo
No comando: Domingo Nativo

Das 08:00 as 13:00

festival-da-trinca
No comando: Festival da Trinca

Das 08:00 as 13:00

velhas-e-boas
No comando: Velhas e Boas

Das 13:00 as 14:00

conexao-teste
No comando: Conexão 103

Das 14:00 as 17:00

rancho-crioulo
No comando: Rancho Crioulo

Das 17:00 as 19:00

voz-do-brasil
No comando: A Voz do Brasil

Das 19:00 as 20:00

dona-da-noite
No comando: Dona da Noite

Das 20:00 as 00:00

Sartori deve deixar Piratini em julho para disputar reeleição

Compartilhe:
thumb-1

Disposto a recuperar o tempo perdido com a sua própria indefinição, o governador José Ivo Sartori (PMDB) cedeu à pressão do PMDB e se prepara para deixar o Palácio Piratini provavelmente em julho. A ideia é disputar a reeleição fora do cargo, mas livre para fazer campanha sem as limitações que a função impõe. Sartori já comunicou ao PMDB que aceita deixar o cargo antecipadamente.

A decisão, segundo interlocutores do Palácio Piratini, só aguardava a manifestação do vice José Paulo Cairoli (PSD). A resolução de Cairoli de não concorrer a nenhum cargo este ano, permanecendo no governo, conhecida nos bastidores há algum tempo, liberou os estrategistas do governador para que buscassem o melhor cenário para a disputa à reeleição.

Fiel a Sartori, é bastante provável também que Cairoli concorra novamente a vice na chapa com o PMDB. Com o gesto de sair do governo, o peemedebista tenta quebrar o paradigma gaúcho: o de nunca, desde que foi instituída a reeleição em 1997, o RS ter reeleito um governador.

Razões

A data da renúncia de Sartori tem duas boas razões. A primeira é tentar fugir do fantasma representado pelas tentativas dos ex-governadores Antônio Britto (PMDB), Germano Rigotto (PMDB), Yeda Crusius (PSDB) e Tarso Genro (PT), que tentaram a reeleição e, diante do dilema de permanecer no cargo ou disputar a reeleição fora do governo, decidiram-se pela primeira opção. O resultado é conhecido: todos passaram o cargo para o adversário em 1º de janeiro.

Agenda no interior

Ao deixar o governo apenas em julho, Sartori terá feito uso de toda a exposição que a lei lhe possibilita, já que até lá continuará percorrendo o Interior inaugurando pequenas obras, participando de eventos e fazendo campanha aberta mas permitida pelas regras eleitorais. Somente três meses antes das eleições, a partir de 7 de julho, é que ficam vedadas a realização de inaugurações e a execução de série de medidas pelos agentes públicos que concorrem ou não no pleito.

 

 

 

Fonte: Correio do Povo
Foto: Samuel Macie

Importante: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site ou da Rádio Itapuã FM.

Deixe seu comentário: